Correr não tem idade, é só começar!

 

É comum ouvirmos dizer, tanto de profissionais quanto de adeptos, que correr é o esporte mais democrático que existe. Afinal, com apenas um par de tênis, qualquer pessoa pode praticar a modalidade – e em qualquer lugar. E eles estão certos! Mas não é só a facilidade de acesso que faz com que a corrida conquiste cada vez mais pessoas. Ela se torna mais popular ainda porque não tem restrição de idade. Crianças, jovens e adultos podem começar agora! E as mulheres estão no pelotão de frente dessa tendência. Dispostas a aproveitar todas as vantagens da atividade – do emagrecimento a um novo grupo de amigos – elas provam que nunca é tarde para dar a largada e superar seus limites.

Aos 40
Nesta faixa etária, as mulheres estão se aproximando da menopausa, sofrendo mudanças hormonais que afetam diretamente o corpo e a cabeça. Mas sem pânico! “Nada que uma dose de organização na vida, uma alimentação equilibrada e a prática de exercícios não resolvam”, garante Antônio Caputo, coordenador da Speed Assessoria Esportiva, do Rio de Janeiro. “A corrida é uma forte aliada nessa fase, pois melhora a condição cardiovascular, auxilia no controle do peso e na eliminação da gordura corporal. Com isso, outros benefícios vão surgir, como o aumento da autoestima e vida social mais rica, por exemplo.

Foi exatamente o que aconteceu com Claudia Bertaglia, de 48 anos. Apesar de não ser sedentária, foi só há dois anos descobriu um grupo de corrida no Museu do Ipiranga, em São Paulo, e decidiu incluir definitivamente a corrida na sua rotina. “Parei de fumar há quatro anos e já sabia que a primeira fase a enfrentar seria a de “gordinha saudável”. Apesar de praticar tênis, resolvi partir para um esporte mais aeróbico e fui correr!”, conta. Hoje, ela não se imagina longe dos treinos, que faz seis vezes por semana, e dos desafios que cada nova prova proporciona. “Me sinto cada vez melhor, mais saudável, forte, magra e animada. Eu achava que a corrida era um esporte individual e descobri que não – muito pelo contrário, envolve pessoas, grupo, companheirismo, amizade. É um incentivando o outro e literalmente correndo juntos! Ganhei amigos que vão além das pistas e isso não tem preço”

A corredora Adriana Soares adotou a corrida há poucos anos e vem progredindo suas distâncias.

A corredora Adriana Soares adotou a corrida há poucos anos e vem progredindo suas distâncias.

Aos 50
O treinador Antônio Caputo afirma que as mulheres que de 50 anos ou mais que decidem abraçar a modalidade vão usufruir dos mesmos benefícios. “A única recomendação é ter mais cuidado no volume e na intensidade dos treinos, para evitar o aparecimento de lesões. Assim, a corrida vai estimular o equilíbrio, a coordenação e a agilidade do corpo”. E as vantagens não acabam aí. Maria Angélica Harry, que faz 60 anos em junho, sempre praticou esportes e achou que correr seria o melhor para ela nesta fase. “Comecei há dois anos e atualmente corro cerca de 5 quilômetros seis vezes por semana. Passei a dormir melhor, tenho mais disposição, e sinto minha pele mais firme. Com essa injeção de ânimo, estou mais realizada também tanto na vida profissional quanto na pessoal”, diz.

Aos 60 e 70 anos
“Os 60 e 70 anos são faixas onde a caminhada é mais indicada para quem está começado a se exercitar, mas, com treinamento adequado e acompanhamento médico, nada impede que em algum momento as mulheres nessa faixa etária possam usufruir da melhora nas condições fisiológicas, como controle de taxas de colesterol e níveis de pressão arterial, além da alegria que a corrida oferece”, diz Caputo. Lourdes de Souza, de 71 anos, é um exemplo perfeito dessa evolução. Até os 67, costumava caminhar apenas. Depois do convite de um amigo para se juntar a sua assessoria esportiva, pediu autorização da sua médica para dar passadas mais rápidas. Liberada, em apenas um mês correu uma prova de 5K. Dois anos depois, cruzava a linha de chegada de sua primeira meia-maratona. “Nunca imaginei que fosse conseguir. Hoje treino de segunda a quinta e meus companheiros sentem falta quando não vou. Apesar de ser a mais velha do grupo, sou eu quem incentivo todos eles a não desistirem e a manterem o pique”, afirma.

Então, vamos lá??? Pode ser mais divertido do que você imagina 😉

FIlhos podem ser um incentivo e tornam a corrida mais divertida e saudável. Nunca uma desculpa para não correr.

FIlhos podem ser um incentivo e tornam a corrida mais divertida e saudável. Nunca uma desculpa para não correr.

Este artigo foi escrito por:

Antonio Caputo da Costa – Profissional de Educação Física, Coordenador da Equipe Speed e CMO da Foco Saúde.

Dúvidas contato@focosaudeonline.com

Criador da Foco Saúde, Profissional de Educação Física, gestor de projetos de bem-estar, certificado Responsável Técnico de Academias (CREF 1/RJ), expertise de 8 anos como avaliador físico-postural e personal trainer.

1 comentário

  • comecei correr a pouco, antes era só caminhada, mas agora corro pelo menos 6 km por dia

    Fabiola Miranda Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *